EFEITOS DOS MÉTODOS PIRÂMIDE CRESCENTE E DECRESCENTE NO NÚMERO DE REPETIÇÕES DO TREINAMENTO DE FORÇA EM MULHERES JOVENS

  • Lucas Vieira Assunção Universidade Federal do Piauí
  • Jefferson Fernando Coelho Rodrigues Júnior Universidade Federal do Piauí
  • Igor Ferreira Nunes Universidade Federal do Piauí
  • Vânia Silva Macedo Orsano Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: Saúde e Educação Física

Resumo

Introdução: O Treinamento de Força (TF) vem sendo muito utilizado em função dos benefícios proporcionados aos praticantes, além de apresentarem uma variedade de métodos com diferentes finalidades. Objetivo: Comparar o efeito dos métodos pirâmide crescente e decrescente sobre o número total de repetições máximas (RM) produzidas em três séries no exercício flexora sentada em uma sessão de treinamento de força (TF). Metodologia: Participaram 10 mulheres jovens (24,5 ± 8,5 anos; 53,9 ± 14,1 Kg; 158 ± 7 cm), com prática em TF de no mínimo seis meses. Os dados foram obtidos em quatro dias não consecutivos ao longo de duas semanas: Para a pirâmide crescente foram adotadas três séries com intensidades de 70%, 80% e 90% da carga de 1RM, e para a pirâmide decrescente a ordem das intensidades foi inversa, sendo o intervalo entre as séries de três minutos. Para analisar a diferença entre os métodos utilizou-se o teste t student com critério de significância de 5%. Resultados: Não foram encontradas diferenças significativas entre o número total de RM realizadas nos dois protocolos experimentais, no entanto para as intensidades de 90% e 80% foram realizadas um maior número de RM no protocolo de pirâmide decrescente. Já na pirâmide crescente houve maior número de RM na intensidade de 70% em relação à mesma intensidade no método pirâmide decrescente. Conclusão: O método pirâmide decrescente seria proveitoso para adaptação na transição de treinos tensionais para metabólicos e quando o treino for com aumento progressivo de volume da carga, a pirâmide crescente se fez mais eficaz.

Biografia do Autor

Lucas Vieira Assunção, Universidade Federal do Piauí
Departamento de Educação Física
Jefferson Fernando Coelho Rodrigues Júnior, Universidade Federal do Piauí
Departamento de Educação Física
Igor Ferreira Nunes, Universidade Federal do Piauí
Departamento de Educação Física
Vânia Silva Macedo Orsano, Universidade Federal do Piauí
Graduada Educação Física pela Universidade Estadual do Piauí, Mestre em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília – UCB, Professora do Departamento de Educação Física da Universidade Federal do Piauí.
Publicado
2016-12-22
Como Citar
AssunçãoL., Rodrigues JúniorJ., NunesI., & OrsanoV. (2016). EFEITOS DOS MÉTODOS PIRÂMIDE CRESCENTE E DECRESCENTE NO NÚMERO DE REPETIÇÕES DO TREINAMENTO DE FORÇA EM MULHERES JOVENS. Revista Contexto & Saúde, 16(31), 186-195. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2016.31.186-195
Seção
Exercício Físico & Saúde