IMPLICAÇÕES DO USO DE ÁLCOOL NO EXERCÍCIO DAS FUNÇÕES PARENTAIS NA PERSPECTIVA DO FILHO ADOLESCENTE

  • Flávia Michelle Pereira Albuquerque Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI) e Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa/RS (FUMSSAR)
  • Vivian Steffen Heimerdinger Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa (FUMSSAR)
  • Edenilson Freitas Rodrigues Estratégia Saúde da Família Garibaldi Carrera Machado no município de Santo Ângelo-RS
Palavras-chave: Saúde, Psicologia, Adolescência, Relações Familiares, Alcoolismo.

Resumo

O abuso de álcool é um problema de saúde pública considerado pela área da psicologia como um sintoma social. Compreender como se estabelece a função parental para filhos adolescentes de cuidadores alcoolistas foi o objetivo desta pesquisa. Para isso foram entrevistados dezesseis adolescentes cujos responsáveis estavam cadastrados no serviço municipal de referência ao álcool e drogas. Utilizou-se uma entrevista semiestruturada realizada na residência dos jovens. A partir da análise dos dados organizou-se a discussão em três dimensões: representação mental sobre alcoolismo, percepção sobre alcoolismo parental e impacto do alcoolismo na relação parental. Destas dimensões surgiram categorias de ordenamento do discurso dos sujeitos. Concluiu-se que os adolescentes podem lidar com o alcoolismo parental enquanto uma conduta normal ou patológica, dependendo principalmente do acesso a informação e da influência do meio onde estão inseridos. Os adolescentes estabelecem uma relação conflituosa com o familiar alcoolista ao perceberem este como instável, alguém que incomoda ou que pode ser tratado com indiferença porque não se pode contar.  Por fim, verificou-se que esses jovens devido à falta de referência, do qual o alcoolismo é o principal fator, vivenciam com sofrimento psíquico maior a crise da adolescência uma vez que suas possibilidades de transição para a vida adulta estão amarradas a um discurso sem perspectivas aprendido na convivência familiar com o abuso de álcool.

Biografia do Autor

Flávia Michelle Pereira Albuquerque, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI) e Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa/RS (FUMSSAR)
Psicóloga graduada pela Universidade de Passo Fundo/RS. Experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social e Comunitária e Psicologia e Politicas Públicas. Atuação psicoterapêutica com adolescentes em conflito com a lei na unidade do CASE Passo Fundo; com famílias com abusadores de drogas licitas e/ou ilicitas; com famílias em processo de adoção de crianças e/ou adolescentes na comarca de Passo Fundo. Experiência em atendimento psicoterápico de famílias na linha sistêmica. Especialista em Saúde da Família. Especialista em Desenvolvimento na Infância e Adolescência.
Edenilson Freitas Rodrigues, Estratégia Saúde da Família Garibaldi Carrera Machado no município de Santo Ângelo-RS
Enfermeiro, especialista em Saúde da Família através do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, ofertado pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI e pela Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR (2016). Especialista em Gestão de Organização Pública em Saúde pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2015). Graduado pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI, Campus de Santo Ângelo/RS (2009). 
Publicado
2016-12-22
Como Citar
AlbuquerqueF., HeimerdingerV., & RodriguesE. (2016). IMPLICAÇÕES DO USO DE ÁLCOOL NO EXERCÍCIO DAS FUNÇÕES PARENTAIS NA PERSPECTIVA DO FILHO ADOLESCENTE. Revista Contexto & Saúde, 16(31), 149-164. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2016.31.149-164
Seção
Contexto & Saúde - Geral