O AGIR JUSTO SEGUNDO IMMANUEL KANT: CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS MOTIVAÇÕES

Resumo

O objetivo deste artigo é abordar o agir justo em Kant, a partir da motivação para a tomada de decisões justas e fundamentar o seu valor como sujeito racional perante as intenções que impulsionam seus atos. A opção pela instrumentalidade da lei e suas prerrogativas busca demonstrar os imperativos que comandam a execução das ações, visualizando a consideração moral individual para a busca pela Justiça. O dever ser kantiano sugere o esclarecimento do sujeito da ação para efetivar a justiça particular, pois a autonomia e liberdade são elementares neste processo. A simples afirmação das leis e normas reflete a carência do seu sentido antropológico porque o ser racional torna-se apenas espectador. O método utilizado na investigação é o investigativo bibliográfico onde serão analisadas obras de Kant para fundamentar a exposição e, de comentadores para ampliar a sua compreensão. O texto persegue a ideia que a decisão humana justa está em conexão intrínseca com a sua manifestação moral e racional, porque interessa mais os fundamentos e reflexões do agir humano do que as prerrogativas criadas pelas leis a fim de ordenar a vivência em sociedade.

Biografia do Autor

Neuro José Zambam, Faculdade Meridional - IMED
Pós-Doutor em Filosofia na Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS. Doutor em Filosofia pela PUCRS. Professor do Programa de Pós-graduação em Direito da Faculdade Meridional - IMED – Mestrado. Professor do Curso de Direito (graduação e especialização) da Faculdade Meridional – IMED de Passo Fundo. Membro do Grupo de Trabalho, Ética e cidadania da ANPOF (Associação Nacional dos Programas de Pós Graduação em Filosofia). Pesquisador da Faculdade Meridional. Coordenador do Grupo de Pesquisa: Multiculturalismo, minorias, espaço público e sustentabilidade. Líder do Grupo de Estudo, Multiculturalismo e pluralismo jurídico. Líder do Centro brasileiro de pesquisa sobre Amartya Sen: interfaces com direito, políticas de desenvolvimento e democracia.
Lucio Henrique Spiazzi Algerich Antunes, Centro Universitário Franciscano (UNIFRA)

Acadêmico de Ciências Econômicas na Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. Acadêmico de Direito no Centro Universitário Franciscano – UNIFRA, com intercâmbio acadêmico em Direito Internacional na Universidade de Lisboa – ULISBOA (2015-2016).

Publicado
2018-04-20
Como Citar
ZAMBAM, Neuro José; SPIAZZI ALGERICH ANTUNES, Lucio Henrique. O AGIR JUSTO SEGUNDO IMMANUEL KANT: CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS MOTIVAÇÕES. Revista Direitos Humanos e Democracia, [S.l.], v. 6, n. 11, p. 3-30, abr. 2018. ISSN 2317-5389. Disponível em: <https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/direitoshumanosedemocracia/article/view/6855>. Acesso em: 19 jun. 2018. doi: https://doi.org/10.21527/2317-5389.2018.11.3-30.